SP às vias de ganhar um monumento à homofobia

Repercutiu no fim de semana a aprovação, pela Câmara de Vereadores,  da proposta  de criação do Dia do Orgulho Hétero – ideia do vereador Carlos Apolinário (DEM) – e a declaração do prefeito Gilberto Kassab (PSD) de que a data não configura homofobia.

Colunista da “Folha de S.Paulo”, Fernando de Barros e Silva ironizou(para assinantes) a queda de Apolinário pelo troca-troca político – já esteve PMDB, PGT, PDT e, agora, no DEM. Mas, apesar dessa liberalidade ideológico e partidária, o vereador mostra-se pragmático em suas convicções ao conseguir aprovar o Dia do Orgulho Hétero, algo que tenta desde 2005 – “um monumento à homofobia chancelado pela casa legislativa da maior cidade do país”.

Para que o Dia do Orgulho Hétero?

Barros e Silva considera “triste” e “cômica” a proposta, que demonstra – diz ele – a “sucupirização explícita da Câmara Municipal de São Paulo”.  “Cada vereador custa aos cofres públicos R$ 115 mil por mês”, lembra.

“Os heterossexuais não são uma minoria, nem quantitativa nem sob o aspecto comportamental. Não existe discriminação – piadas, humilhações, ameaças e agressões, físicas ou morais – a casais ou pessoas hétero”, escreve. “Mas essa não é apenas uma lei inútil. Trata-se de uma iniciativa nociva, que, a pretexto de ‘resguardar a moral’, atiça o preconceito, incorporando-o ao calendário oficial da cidade”.

Outro colunista da “Folha de S.Paulo” repercutiu com mais humor. Para Marcelo Coelho, o Dia do Orgulho Hétero será para que todos sejam “machos por um dia”. “Nos outros 364 dias, envergonhe-se de ser preconceituoso, estuprador, ou simplesmente inseguro e vítima do autopreconceito”, escreveu. “Me segura que eu vou”, concluiu.

Num tom um pouco mais incisivo e dizendo-se afrontado, o deputado Jean Wyllys divulgou uma carta ao prefeito de São Paulo afirmando ser a proposta aprovada pela Câmara uma violação do “princípio constitucional da igualdade”. Kassab afirmara não ver problemas em criar o Dia do Orgulho Hétero.

Aprovada pela Câmara, a data ainda precisa da assinatura do prefeito. De acordo com a proposta do vereador Carlos Apolinário, o terceiro domingo de dezembro seria reservado à celebração da “moral” e dos “bons costumes”.

Leia também:

ADOLESCENTES AGRIDEM GAYS EM METRO EM SP

ORGULHO HÉTERO NÃO É HOMOFOBIA, DIZ KASSAB

ADEUS, HERÓI DOS TRIANGULO ROSA

Anúncios

4 pensamentos sobre “SP às vias de ganhar um monumento à homofobia

  1. Pingback: Hétero é agredido por abraçar namorada « Um outro olhar

  2. Pingback: Dia do Medo Macho | Um outro olhar

  3. Pingback: Morta juíza do caso Alexandre Ivo | Um outro olhar

  4. Pingback: Prefeito de SP veta Dia do Orgulho Hétero | Um outro olhar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: